Menu Ensino do Portal Prof. Stefanelli

Apostila Básica Mapeamento de Informação

Mapeamento de Informação

Mapeamento de Informações é um processo de preparação de mapas de informação, constituído por um conjunto de regras para: analisar, escrever, organizar e apresentar qualquer tipo de informação que tem suas origens na instrução programada e permite ao usuário decidir como utilizar o conteúdo. Esta técnica organiza as informaçőes análogamente a um Atlas geográfico.

Segundo Romiszowski (1995), o mapeamento de informação é um processo de preparação de mapas de informação; é constituído de um conjunto de regras para analisar, escrever, organizar e apresentar qualquer tipo de informação.

Romiszowski (1995), apud demo, “segundo Robert Horn, o desenvolvedor desta técnica, o mapeamento de informação ...é um método de organizar categorias de informação e apresentá-las, tanto com propósito de referência como para aprendizagem... Os procedimentos e as regras para mapear informação foram derivadas da pesquisa educacional e da tecnologia, bem como do mundo da comunicação. A ênfase é em formatos para comunicar rapidamente a exploração e a recuperação de dados”. (Horn et alii, 1969).

Para a aplicação desta técnica o redator deve selecionar no texto blocos funcionais de informação, – que são parágrafos cujas informaçőes, que eles trazem, são auto-suficientes – em seguida deve determinar a que classe fundamental de informação eles pertencem – se o conteúdo deste bloco trata-se de um conceito, ou um exemplo, ou um procedimento, ou um processo, ou mesmo um fluxograma, etc. – a seguir, entre outras providências, ele deve montar o mapa tomando o cuidado de indicar a que classe fundamental de informação estes blocos pertencem.

A utilização desta técnica na elaboração de apostilas permite uma leitura não linear, pois é o leitor quem escolhe a sequência lógica, até onde se aprofundar, que exercícios fazer, etc.
“A estrutura de uma apostila preparada por esta técnica é semelhante a um atlas geográfico, no sentido de que há páginas que apresentam um sumário total (como um mapa do mundo) e outras páginas que explicam cada parte da informação com mais detalhes (como mapas de continentes, países, regiőes, cidades) (ROMISZOWSKI, 1995)

“é um método de organizar categorias de informação e apresentá-las, tanto com o propósito de referência como o de aprendizagem... Os procedimentos e as regras para mapear a informação foram derivadas de pesquisa educacional e da tecnologia, bem como do mundo da comunicação. A ênfase é em formatos para comunicar rapidamente a exploração e a recuperação de dados” (Horn et alii, 1969).

Adaptação do Mapeamento de Informação
para escrita de textos informativos e educativos

Com pequenas adequaçőes, o mapeamento de informação mostrou-se uma técnica eficaz na preparação de textos curtos, claros, inteligíveis e auto-explicativos, pois lhes forneceu poderosas propriedades: a facilidade na recuperação dos textos, a possibilidade do estudante se aprofundar em um tópico seguindo sua curiosidade e a possibilidade de se encontrar o objeto da pesquisa de forma rápida e eficaz.

Alexander Romiszowski divide os conhecimentos humanos em duas categorias: os conhecimentos factuais e os conhecimentos conceituais; estes, por sua vez, também são divididos em duas categorias: princípios e conceitos; por fim estes também são divididos em duas categorias: conceitos concretos e conceitos abstratos (Diagrama 1 - Categorização dos Conhecimentos Humanos). A diferença principal entre os conceitos concretos e os abstratos é que os primeiros podem ser transmitidos por intermédio de exemplos concretos e o aprendiz utiliza-se de seus sentidos para adquiri-los. Entretanto, para a transmissão dos conceitos abstratos faz-se necessário o uso da linguagem e da capacidade de abstração do aprendiz (ROMISZOWSKI, 1981). O autor exemplifica utilizando-se dos conceitos concretos: ‘vermelho’, ‘verde’, ‘azul’ ou da diferença entre o ‘cor-de-laranja’ e o ‘vermelho’. Segundo seus estudos, o aprendiz pode apropriar-se destes conceitos por intermédio de seus sentidos, utilizando-se da sua experiência de vida.

Porém, o conceito abstrato ‘cor’ só será apreendido se o aprendiz e o instrutor dominarem uma linguagem comum. Neste caso –como em todos os casos de comunicação e ensino de conceitos– é preciso apresentar uma série de exemplos apropriados. Contudo, os exemplos que levarão o aprendiz a apropriar-se do conceito abstrato ‘cor’ são outros conceitos ‘concretos’ apreendidos previamente, a exemplo de: vermelho e laranja.

Para explicar o conceito de "cor" o instrutor precisa citar verbalmente os exemplos e o aprendiz precisa ter adquirido, previamente, o sentido destas palavras. Segundo Romiszowski, para ensinar o conceito abstrato ‘cor’, não adianta apontar para coisas vermelhas, azuis, ou de qualquer outra cor, nem, tão-pouco, citar exemplos de cores verbalmente para um aprendiz que não adquiriu previamente a compreensão destas palavras. Este conceito só fará sentido se o aprendiz conhecer os exemplos concretos e dominar a linguagem utilizada, pelo instrutor, para juntar tudo.

Diagrama 1 - Categorização dos Conhecimentos Humanos

Exemplo do Mapeamento de Informação
aplicado em textos educativos

No Desenho Geométrico em Multimídia foram utilizadas animaçőes produzidas em “3D” –linguagem gráfica– como substituto parcial da linguagem verbal. Por exemplo –sem prejuízo dos axiomas e postulados– é possível aduzir os conceitos concretos: ponto, reta, cone, plano dentre outros e, posteriormente, utilizando-se das animaçőes com linguagem, levar o aprendiz a abstrair os conceitos abstratos das curvas cônicas –pontos pertencentes tanto ao cone quanto ao plano que o seciona– (Tela 1 – Interface do ambiente: Curvas Cônicas - Desenho Geométrico em Multimídia).

Tela 1 – Interface do ambiente: Curvas Cônicas - Desenho Geométrico em Multimídia

É evidente que os fundamentos da Geometria estão longe de ser concretos, tão-pouco conceitos, todavia, utilizando os princípios da ‘Categorização dos Conhecimentos Humanos’, proporcionou-se uma sinergia entre a técnica e a arte sem prejuízo dos conteúdos.

Diagrama 2 – Estrutura modular de uma base de informações

Exemplo da aplicação do Mapeamento de Informações

Exemplo 1 - Clique para conhecer uma aplicação do Mapeamento de Informações

Este material funciona com o apoio do:

Mapeamento de Informação - Apresentação para suporte ao desempenho do professor

Prof.: Eduardo José Stefanelli
Prof. Ms. do IFSP - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia São Paulo.
Pesquisador do Núcleo de Pesquisa das Novas Tecnologias de Comunicação Aplicadas à Educação – A Escola do Futuro da Universidade de São Paulo.
professor@stefanelli.eng.br
http://www.stefanelli.eng.br

 

Prof.: Dr. Alexander J. Romiszowski
Professor, Instructional Design and Development,
Syracuse University, School of Education, EUA.
Diretor Executivo, TTS - Tecnologia, Treinamento e Sistemas,
Rio de Janeiro, Brasil
www.tts-global.com

Eduardo J. Stefanelli - www.stefanelli.eng.br